Datas e Horários

2023-01-20 20:00:00
2023-01-21 20:00:00
2023-01-22 19:00:00
2023-01-27 20:00:00
2023-01-28 20:00:00
2023-01-29 19:00:00

ANTES DO ANO QUE VEM

(você será levado a um endereço externo seguro)

Sinopse

Ministério do Turismo e Atacadão

apresentam

Mariana Xavier em Antes do Ano Que Vem

Comédia dinâmica, divertida e emocionante com direção de Ana Paula Bouzas e Lázaro Ramos.

“Antes do Ano Que Vem” chega no Rio de Janeiro de 20 a 29 de janeiro de 2023 no Imperator – Centro Cultural João Nogueira.

A comédia Antes do Ano Que Vem, com texto inédito de Gustavo Pinheiro, estrelada por Mariana Xavier, sob a direção de Ana Paula Bouzas e Lázaro Ramos e direção de movimento de Márcio Vieira, o espetáculo é mais uma realização da Trampo Produções e da WB Produções, dos produtores associados Bruna Dornellas e Wesley Telles chega no Rio de Janeiro para apresentação de 20 a 29 de janeiro de 2023, no Imperator – Centro Cultural João Nogueira.

RELEASE

A narrativa da peça expõe necessidades, angústias e desejos de sete personagens que encaram a virada do ano com perspectivas bastante distintas.  Já imaginou uma faxineira de uma hora pra outra ter que assumir a função de psicóloga e com bons conselhos salvar vidas numa noite de réveillon? Mariana Xavier, a inesquecível Marcelina de “Minha Mãe É Uma Peça”, apresenta “Antes do Ano Que Vem”: uma comédia leve e esperançosa sobre nossas dores emocionais e nossa capacidade de nos reinventar pra contornar os desafios do cotidiano! É noite de réveillon e Dizuíte, a faxineira da Central de Apoio aos Desesperados, está terminando seu serviço para poder passar a virada com a família. Dra. Telma, a psicóloga que deveria ficar de plantão no CAD, não aparece pra trabalhar, e Dizu, que não foi preparada profissionalmente para aquela função, mas tem muita solidariedade e toda uma sabedoria do cotidiano, é quem acaba atendendo as ligações das pessoas desesperadas e tendo que mostrar pra elas que vale a pena viver e que ainda dá pra ser feliz antes do ano que vem!

Da adolescente traída à socialite falida, Mariana Xavier interpreta essas 7 personagens com humor e leveza. A peça também se propõe a discutir questões fundamentais para a sociedade contemporânea, como solidão, empatia, solidariedade e a nova ditadura de felicidade imposta pelas interações virtuais. “O humor abre portas para novas percepções do mundo. Vivemos num tempo em que rir é o primeiro remédio para as nossas mazelas. Com este texto e o grande talento de Mariana, damos um salto além no humor atual que fala das mulheres”, afirma o diretor Lázaro Ramos.

E a própria Mariana Xavier confessa: “Um misto de excitação e medo: é o que toma conta de tanta gente na noite de réveillon e também o que eu sinto nesse momento, encarando meu primeiro espetáculo solo. Antes do Ano Que Vem já é o maior desafio da minha carreira e prova que é possível fazer arte popular com qualidade e sensibilidade. Acredito na comédia como ferramenta não só de entretenimento, mas de crítica e reflexão. Acredito também no poder transformador da empatia e é através dela que esperamos que o público saia do teatro leve, afagado e um pouco transformado também.”

Para o autor Gustavo Pinheiro, “o riso que propomos à plateia nesta comédia é o de compaixão, nunca do deboche. É o riso da empatia, de quem também tem suas dores e sabe que vivê-las e superá-las faz parte do jogo. Torço para que este espetáculo seja um convite para que cada pessoa na plateia também pense o que pode fazer por si mesmo, pela sua felicidade, o quanto antes. Se possível, antes do ano que vem”.

Sinopse

Antes do Ano Que Vem é além de uma divertida comédia, uma história de acolhimento e esperança contada através do olhar de Dizuite, a faxineira da Central de Apoio aos Desesperados (CAD), uma espécie de CVV (Centro de Valorização da Vida). É noite de réveillon, quando há um aumento significativo no número de ligações com pedidos de ajuda. Datas como esta, de “felicidade obrigatória”, fazem aflorar ainda mais as emoções de quem não está lá muito satisfeito com a própria vida. A psicóloga plantonista do CAD não aparece pra trabalhar e Dizuite, que não foi preparada para a função, mas administra com sabedoria popular as dores e delícias do próprio cotidiano, é quem tem que atender aos telefonemas, mostrando àquelas pessoas que vale a pena viver e que ainda dá pra ser feliz antes do ano que vem. Da adolescente traída à socialite falida, a comédia revela sete diferentes personagens que avaliam a vida e projetam seus votos de novo ano em perspectivas curiosas e muito divertidas.

Mariana Xavier

Mariana Xavier iniciou a carreira artística aos 9 anos de idade, no teatro, mas foi com o filme “Minha Mãe é Uma Peça” que foi lançada nacionalmente e conquistou o carinho e o reconhecimento do público. Depois de brilhar como Marcelina, seguiu provando seu talento e aumentando sua popularidade:  atuou nas novelas Além do Horizonte, I Love Paraisópolis e A Força do Querer, foi repórter do Vídeo Show e participou também do quadro Dança dos Famosos, todos na TV Globo, e fez mais 5 filmes. É uma das autoras do livro “Gordelícias” (Editora Planeta). No teatro, atuou em 17 espetáculos, entre eles Quer TC?, O Garoto Que Não Sabe Rir, Escandaloso Desejo de Amar, Histórias Que o Eco Canta e O Último Capítulo.  No verão de 2019, outro estouro: “Jenifer”. Quebrando padrões ao protagonizar o clipe de Gabriel Diniz (in memoriam) que foi o hit da estação, Mariana despertou imensa identificação no público, consolidando de vez seu posto de referência de autoestima para muitas mulheres. Aos 41 anos e com um trabalho bastante consistente na Internet, sempre procura mostrar ao seu público que é possível ser feliz e ter uma vida saudável, mesmo fora dos padrões.

Gustavo Pinheiro

Formado em Jornalismo, a carreira de Gustavo Pinheiro no teatro começa em 2015, ao vencer o Seleção Brasil em Cena, concurso do CCBB que visava lançar novos autores. O texto vencedor foi “A Tropa”, em cartaz há seis anos, protagonizado pelo ator Otávio Augusto. Desde então, teve outros sete textos encenados por nomes como César Augusto, Rodrigo Portella, Victor Garcia Peralta e Leonardo Netto, estrelados por nomes como Ana Beatriz Nogueira, Lília Cabral, Guilherme Piva, Vilma Melo, Júlia Rabello e Alinne Moraes. “Três Mulheres Altas” é a primeira tradução de Gustavo Pinheiro para o teatro.

Ana Paula Bouzas

Ana Paula Bouzas é baiana nascida em Salvador, e há mais de 30 anos trabalha como artista nas funções de atriz, dançarina, coreógrafa, diretora cênica e de movimento e preparadora de elenco em teatro, dança, cinema e TV. É graduada em Licenciatura em Dança pela Faculdade Angel Vianna (RJ) e pós-graduada em Preparação Corporal nas Artes Cênicas pela mesma instituição. Integrou grupos e cias de teatro e dança em Salvador e no Rio de Janeiro., onde fundou o núcleo de criação Meimundo Inventações Compartilhadas, com passagem também pela cidade de São Paulo. Na capital paulista dirigiu, ao lado de Fábio Espirito Santo, o premiado musical Amor Barato – o Romeu e Julieta do Esgotos, dentre outros. Seus mais recentes trabalhos são o monólogo Inferno (atriz) e o solo Eu Organizo o Movimento (dançarina), o filme Abraço no Tempo (coreógrafa) e os longas Marighella, Urubus, Medida Provisória e Pixinguinha, um homem carinhoso. Atualmente é gestora artística do Balé Teatro Castro Alves, companhia pública de dança oficial do Estado da Bahia.

Lázaro Ramos

Lázaro Ramos estudou teatro, dança, canto e integrou por vários anos o Bando de Teatro Olodum, dirigido por Marcio Meirelles, em Salvador. Desde 1994, participou de mais de 14 espetáculos. Com grandes sucessos no teatro, cinema e TV, tem sido reconhecido também por seu trabalho de direção teatral, em espetáculos como Namíbia, Não!, O Topo da Montanha, A Menina Edith e a Velha Sentada, Boquinha… E Assim Surgiu o Mundo e O Jornal – The Rolling Stone. Na televisão, dirigiu o programa Espelho, atuou na novela Cobras & Lagartos e na série Mister Brau, todos na TV Globo. É autor dos livros Na minha pele, Caderno de rimas do João, Caderno sem rimas da Maria e A menina Edith e a velha sentada. No cinema, atuou em filmes como O Beijo, Tudo Que Aprendemos Juntos, Madame Satã, O Homem Que Copiava, entre outros.

Márcio Vieira

Diretor de Encenação e Movimento, Coreógrafo e ator. Trabalhou como DIRETOR  em: “Zuação – A Festa”, Lona Cultural João Bosco, Alunos da Oficina de Montagem de espetáculo; “As Coisas Simples da Vida”, Teatro Bibi Ferreira, Grupo Teatral O Grupo; Cia Escaramucha de Teatro, “A Cantora Careca” Criação Teatral Volkswagen; Cia Escaramucha de Teatro, “Enamorados”, Centro Cultural Suassuna / Teatro Mario Lago / SESC; “Anjinhos e Capetinhas”, Teatro Ziembinski e Teatro Gláucio Gil – Oficina de Criação de Espetáculo–ONG Palco Social, Supervisão Ernesto Piccolo; “Caos”, Teatro Grajaú Tênis Clube, Elo – Companhia Messiânica de teatro; “Quatro Bancos e uma Rosa”, Teatro Grajaú tênis clube, Elo – Companhia Messiânica de teatro; “Thati na festa do Sapo” Teatro Vannucci – Shopping da gávea; Cia Escaramucha de Teatro, “O Garoto que não sabe rir”, Teatro Ziembinski / Teatro Clara Nunes; “Sonho nosso de cada dia”, Elo Cia de Teatro; ASSISTENTE DE DIREÇÃO de Gustavo Paso no Espetáculo “Ariano”, Centro Cultural CCBB-RJ e SP; DIREÇÃO  DE MOVIMENTO do espetáculo “O canto do Galo, “Casa Grande e Senzala – Manifesto Musical Brasileiro”Cia Os Ciclomaticos, DIREÇAO e COREOGRAFIA do Musical “Um Rio Chamado Machado”, Teatro SESI e Teatro Miguel Falabella (Norte Shopping); DIREÇÃO do Espetáculo “Humor de A á Z”, Teatro Vannucci; ”Sujou”Teatro Clara Nunes; DIREÇAO do Espetáculo “Quando as Máquinas Param” Teatro Laura Alvim e Casa da Gávea e Circuito SESC, entre outros.

WB Produções

Fundada por Bruna Dornellas e Wesley Telles, a WB Produções é uma empresa que desde 2007 atua nos mais diversos ramos da produção cultural no Brasil. Em 15 anos, já foram mais de 500 sessões de caráter cultural e mais de 200 sessões em temporadas, envolvendo manifestações das artes cênicas, musical e audiovisual, atingindo um público de mais de 350 mil espectadores, com artistas como Bibi Ferreira, Glória Menezes, Maria Bethânia, Miguel Falabella, Marieta Severo, Lilia Cabral, Mateus Solano, Marcelo Serrado, Fernanda Souza, Leandro Hassum, Marco Luque, Paulo Gustavo e Whindersson Nunes. Entre os espetáculos montados, E o Vento Vai Levando Tudo Embora, escrita e dirigida por Regiana Antonini; Deu a Louca na Branca, com Cacau Protásio; O Último Capítulo, com Mariana Xavier e Paulo Mathias Jr; Através da Iris, com Nathalia Timberg, Misery, com Mel Lisboa e Marcello Airoldi e Três Mulheres Altas, com Suely Franco, Deborah Evelyn e Nathalia Dill.

Serviço

.

Ficha Técnica

.

Rua Fortunato Ramos, 30, Edifício Cima Center, Sala 103
Praia do Canto – Vitória / ES – CEP 29056-020
Telefone Fixo: (27) 2142-5350 | WhatsApp: (27) 99293-7558

© WB Produções 2019